post title
  • 21/07/2017 03:08

Descubra as principais doenças após os 50 anos

Principais doenças após os 50 anos

1. Osteoporose

Esta doença é caracterizada pela redução substancial da massa óssea, com ossos ocos, finos e de extremamente sensíveis, ficando mais propensos à fraturas e faz parte do processo normal do envelhecimento.

“A osteoporose é uma doença de instalação silenciosa. O primeiro sinal pode aparecer quando ela está numa fase mais avançada e costuma ser a fratura espontânea de um osso que ficou poroso e muito fraco, a ponto de não suportar nenhum trauma ou esforço por menor que sejam.”

— Drauzio Varella

2. Parkinson

A doença de Parkinson é causada pela falta de uma substância no cérebro denominada dopamina. O motivo desta alteração é desconhecido, e em grande parte das vezes atinge as pessoas com mais de 50 anos de idade. No geral, a evolução da doença é lenta, iniciando-se com pequenos tremores (principalmente nas mãos) que podem progredir depois para a boca.

Outro sintoma característico da patologia é uma rigidez global ou que dificulta o início de movimentos e do equilíbrio, propiciando a ocorrência de quedas. A pessoa fica “dura”, como se estivesse completamente engessada, e numa fase mais avançada ela pode desenvolver até mesmo demência, ficando totalmente dependente e de cama.

3. Demência

Conhecida como esclerose ou caduquice, a demência é normalmente uma doença que se inicia com alteração da memória recente e os acontecimentos mais antigos são lembrados, como infância e juventude, passando a falsa impressão que a memória possa estar boa.

Com o agravamento da patologia, o idoso vai perdendo a capacidade de reconhecer a família, tendo um comportamento alterado, como se perder nas ruas.

Esta doença se desenvolve devido à morte progressiva das células cerebrais, que pode ocorrer por vários motivos, sendo o mais comum deles a doença de Alzheimer, que possui causa desconhecida. Esta patologia não tem cura, possui apenas controle através de remédios, bons hábitos e exercícios de memória.

4. Catarata

O olho humano possui uma “lente natural” denominada de cristalino, que ajuda no foco da visão para longe e para perto. A catarata é definida pela opacificação dessa lente, atrapalhando a visualização.

Esta doença pode ser causada pelo envelhecimento natural do cristalino, por diabetes mellitus, exposição ocular aos raios solares excessiva, cigarroálcool, exposição à determinados produtos químicos, uso de corticoides, rubéola e genética (nasce com a doença).

“A opacificação do cristalino (catarata) pode ocorrer de forma congênita (desde o nascimento); primária, que é a forma mais comum e evolui com a idade; ou secundária, adquirida por doenças metabólicas como o diabetes, doenças oculares como uveites, trauma ocular e abuso de colírios a base de corticoides. Essa patologia atinge metade da população mundial (46,2%) acima de 65 anos.”

— Hospital CEMA

5. AVC

O Acidente Vascular Cerebral é uma restrição da irrigação de sangue no cérebro, causando lesão nas células e danos nas funções neurológicas.

Seus sintomas englobam: dificuldade de mover o rosto, dificuldade em movimentar os braços de forma correta, dificuldade de falar e expressar-se, fraqueza nas pernas, problemas na visão.

De acordo com o Hospital Israelita Albert Einstein, o tratamento pode ser feito com o uso os medicamentos: anticoagulantes, ativadores do plasminogênio tecidual, estatina, anti-hipertensivo e inibidor da ECA ou por meio de cirurgia de endarterectomia de carótida.

6. Pneumonia

O envelhecimento traz alguns fatores consigo, como:

  • redução do reflexo de tosse;

  • redução da remoção de muco e poeira pelas vias aéreas;

  • redução dos cílios;

  • menor número de alvéolos;

  • elevação de resistência das vias aéreas;

  • estreitamento dos bronquíolos.

Além desses fatores, a velhice pode contribuir para a infecção no tecido pulmonar ou nos sacos de ar, que podem ficar cheios de líquido, desencadeando a chamada de pneumonia.

Seu tratamento pode utilizar de medicamentos antibiótico e penicilina ou oxigenoterapia.

 

Exames médicos recomendados depois dos 50

  • Exame médico geral;

  • medição de cintura;

  • IMC (Índice de Massa Corporal);

  • pressão;

  • exame pélvico;

  • exame de sangue (hemograma e proteína C-reativa);

  • painel metabólico básico;

  • gorduras e lipídeos;

  • tireoide;

  • densidade óssea;

  • mamografia;

  • exame de câncer de colo do útero;

  • dentes;

  • vista;

  • pele;

  • eletrocardiograma;

  • próstata.

Esses exames permitem ver se o organismo está em equilíbrio, analisando se: a medida da circunferência da cintura não passa os 90 cm, a pressão está em 12 por 8, o colesterolLDL (colesterol ruim) está menor que 100 e o HDL (colesterol bom) está maior que 50, o triglicérides está acima de 150 e a glucose está inferior a 100, considerados números ideais. Além disso, os exames são capazes de identificar se você dorme de 7 a 8 horas por noite, se fuma ou não, se não se estressa frequentemente e se faz exercícios físicos.

 

 

Fonte: saudavelefeliz.com